16 Abril 2016

Desigualdades sociais crescem em Portugal

CRIANÇAS Portugal foi um dos países que registaram o maior aumento da desigualdade no rendimento das famílias com crianças, revela um relatório da Unicef que analisou 41 países da União Europeia e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

“Nos grandes países do Sul da Europa, Grécia, Espanha. Itália e Portugal, registaram-se diferenças nos rendimentos superiores a 60%, tal como em Israel. no Japão e no México”, refere o documento, que analisa as disparidades em termos de rendimento, desempenho escolar, problemas de saúde e satisfação com a vida reportados pelas próprias crianças.

Segundo o relatório, o maior aumento na desigualdade, de pelo menos 5%, foi registado em quatro países do Sul da Europa. Espanha, Grécia, Itália e Portugal, e em trés países da Europa Oriental: Eslováquia. Eslovénia e Hungria.

Em todos estes países, com exceção da Eslováquia, o rendimento médio das famílias com crianças desceu, refere o relatório “Equidade para as crianças: Uma tabela classificativa das desigualdades de bem-estar das crianças nos países ricos”.

O relatório salienta que o mercado de trabalho determina em grande parte o rendimento das famílias com crianças, em especial após uma crise económica, quando aumentam as taxas de desemprego e o trabalho precário.

Alerta ainda que, no nível de rendimentos mais baixos. “abundam de forma desproporcionada” os casos de crianças que vivem em lares onde todos os membros da família estão desempregados. uma situação verificada em todos os países europeus.

A nível da desigualdade na saúde. Portugal ocupa a 7.’ posição, atrás da Áustria. Alemanha. Suíça. Noruega. Dinamarca e Finlândia.

Fonte: Jornal de Notícias, 16 de Abril de 2016